terça-feira, 22 de novembro de 2011

Governo de MG assalta os educadores e deve ter apoio da maioria dos deputados da ALMG


É inadmissível uma situação desta vivida pelos educadores de MG!!


Nem mesmo o mais pessimistas dos educadores poderia imaginar que este desgoverno pudesse piorar ainda mais a nossa mísera situação.


Pois não é que ele conseguiu, ou melhor está conseguindo???


Esta nova proposta é um assalto a nossa mais profunda dignidade de educador: nos roubar direitos adquiridos a custa de várias lutas e mobilizações da categoria , acabar com nosso plano de carreira sem nenhum escrúpulo e com aval dos deputados famigerados da situação será a maior covardia para com a categoria que deveria ser a mais valorizada!


E o pior de tudo é que o governo Federal assiste a este massacre da educação pública mineira, com uma Lei Federal em vigência no País que nos garante o PISO Salarial Nacional do Magistério como sendo vencimento básico e nada faz!!!


Cadê a justiça deste País??


Vivemos num País sem lei????


Ditadura voltou nas Gerais???


Como mudar a regra do jogo no momento em que a taça está nas nossas mãos????



Meu Deus, que a justiça Divina se incuba daquilo que foge ás nossas mãos!!



Beatriz Cerqueira, escreveu no seu blog:


" O anúncio feito pelo Governador Antônio Anastasia no dia 21/11 é uma clara tentativa de golpe na educação mineira. Além de não pagar o Piso Salarial Profissional Nacional, ele retira direitos dos servidores ao impor uma forma de remuneração que é o subsídio.


A proposta é tão fantasiosa que haveria a criação de tabela de vencimento básico fictícia, em que os servidores seriam posicionados para imediata e obrigatoriamente migrarem para o subsídio, renunciando ao direito de adquirir as vantagens e benefícios individuais.

Com este comportamento além de não cumprir o que assinou, o Governo Antônio Anastasia se revela o pior Governador com quem os trabalhadores em educação já conviveu, com uma gestão baseada no descumprimento de acordos, retirada de direitos e desrespeito aos profissionais da educação.

O Comando Estadual de Greve, reunido na manhã desta terça-feira, avaliou este anúncio e votou pela paralisação nos dias 23 e 24 de novembro de modo a possibilitar a mobilização da categoria em todas as regiões do estado.

No período da tarde, a assembleia estadual foi iniciada e continuou em aberto. A categoria realizou atividades no interior da Assembleia Legislativa. O Governo já encaminhou o projeto de lei com o conteúdo anunciado nesta segunda-feira.

O sindicato já encaminhou orientações às suas subsedes para que articulem caravanas para acompanhar a discussão deste projeto de modo a convencer os deputados a rejeitar esta proposta.


As atividades terão continuidade nesta quarta-feira, dia de paralisação estadual, a partir de 8 horas. A reunião extraordinária da Assembleia Legislativa está convocada para esta quarta-feira, 9 horas.
A categoria continua mobilizada e em vigília durante toda a noite desta terça-feira."


5 comentários:

  1. Cris, só Deus pode salvar e ele pode. nunca vi uma situação com esta mesmo vivendo ,o finalda ditadura explicita. Agora a ditadura é acobertada pela mídia pelega, comprada.Acredito que venceremos unidos e fortes.Ninguém vence o povo. A história comprova essaverdade.Força e fé.

    ResponderExcluir
  2. FOI UM GRANDE GOLPE QUE ESTE GOVERNO APL,ICOU ; professores,deputados,sindicato,todos foram enganados pelo pior governador que mg já teve.

    ResponderExcluir
  3. João Paulo Ferreira de Assis23 de novembro de 2011 19:36

    Prezada amiga e companheira de luta Professora Cristina

    Aqui vai o meu artigo no jornal VIA REAL, de Ressaquinha MG, a respeito deste assalto planejado pelo governo.

    UM CRIME ANUNCIADO

    Vamos deixar de lado nossa pregação a respeito do roteiro turístico único para fazermos uma denúncia ao preclaro leitor. Primeiramente iremos dar os conceitos de furto e roubo, tais como estão no Código Penal. De acordo com o artigo 155, FURTO é subtrair, para si ou para outrem, coisa alheia móvel. ROUBO, de acordo com o artigo 157, é subtrair coisa móvel alheia, para si ou para outrem, mediante grave ameaça ou violência a pessoa, ou depois de havê-la, por qualquer meio, reduzido à impossibilidade de resistência.
    O prezado leitor há de perguntar-se porque iniciamos nós o nosso artigo com esses conceitos que não nos foram perguntados?

    Todos sabem que houve uma greve de 112 dias dos professores, que prejudicou os alunos, não há como negar, mas também prejudicou a nós em maior ou menor grau. Aceitamos suspendê-la, para atender negociações com que nos acenaram os deputados do governo. E assim, em 26 de setembro suspendemos nossa greve. Foi assinado um termo de compromisso entre o governo e o SINDUTE. Começamos as reposições. O governo em nenhum momento aceitou nos pagar pelo plano de carreira instituído pela Lei 15293, de 2004. Quer nos empurrar o subsídio, que nada mais é do que uma forma perversa de desobedecer à Lei federal 11738, sob a falsa afirmação de que a cumpre. No vencimento básico, com o Piso sendo pago de acordo com o plano carreira de 2004, ao final de 2015, receberemos o dobro do que o governo nos acena. Esse projeto que o governo quer nos impor, desrespeitando nossa opção pelo vencimento básico não só é inconstitucional como também é criminoso. Inconstitucional porque mexe em direitos adquiridos, e extingue os quinquênios das pessoas que já possuíam esse direito antes de 2003, como é meu caso. O governo diz que vai incorporar quinquênios e biênios de quem já tem esse direito. Desde o mês passado completei 25 anos e tenho direito a receber o 5° quinquênio. Mas ele vai me cassar o direito ao adicional trintenário, que a lei me assegurava quando me tornei efetivo. Esse não será pago. Diante do exposto podemos traçar uma analogia com o iter criminis.

    CONTINUA

    ResponderExcluir
  4. João Paulo Ferreira de Assis23 de novembro de 2011 19:38

    Prezada amiga e companheira de luta Professora Cristina

    Eis a continuação do meu artigo:

    Vejam as etapas do crime (iter criminis):

    1-COGITAÇÃO. Ao adiar a reunião com a comissão tripartite (governo, sindute e deputados)o governo já deu o primeiro passo para o crime. É a fase interna.

    2-ATOS PREPARATÓRIOS. 1° etapa da fase externa. Foi a reunião de 18 de novembro com os deputados. Na teoria do crime seria a aquisição da arma para cometer o homicídio. Mas pode-se colocar essa reunião como crime consumado pois a simples reunião para formar uma quadrilha que cometerá crimes, já é um crime consumado. A quadrilha é uma ameaça à sociedade, como a reunião desses deputados com o governador se constituiu numa ameaça a milhares de professores e suas famílias. O crime de formação de quadrilha está previsto no artigo 288 do Código Penal.

    3-ATOS DE EXECUÇÃO. 2ª etapa da fase externa. No nosso caso começa com a tramitação do projeto na Assembleia Legislativa, discussão e votação. No caso da teoria criminal, é o início da execução do crime.

    4-CONSUMAÇÃO. É no nosso caso, a sanção do projeto de lei pelo governador e sua publicação no órgão oficial do Estado. No caso do homicídio é quando a vítima dá o último suspiro.

    Vejam, senhores, a semelhança do que o governo vem fazendo conosco com um crime cogitado, planejado e consumado. Como isto ainda fosse pouco ainda há o assédio moral praticado contra os professores por ordem da Secretaria de Educação pelos seus fiéis capitães do mato, os funcionários das superintendências regionais de ensino e os diretores de escolas.

    O governo vencerá mais esse round. E a Educação mineira, esmagada, está no fundo do poço. Toda uma categoria está desanimada e desiludida com tanta perseguição. Infelizmente o governo VAI CONSEGUIR OS SEUS TORPES OBJETIVOS, QUE É DEIXAR OS FILHOS DOS POBRES SEM ESCOLA.
    Peço aos leitores que não se deixem fiar pela propaganda do jornal Estado de Minas a favor do governo. Lembrem-se que Educação e PSDB são como água e óleo. Não se misturam. Se você quer educação de qualidade, pense bem na hora de votar, inclusive para prefeito. Verifique quem é que patrocina o projeto do candidato a prefeito, que partidos o apoiam, e decida o seu voto.

    João Paulo Ferreira de Assis é professor de História na EE Deputado Patrus de Sousa em Carandaí, e autor da História do Município de Senhora dos Remédios.

    ResponderExcluir
  5. O placar já está anunciado: seremos derrotados. O déspota vencerá e irá convencer a sociedade mineira que fez o melhor, utilizando uma garota propaganda ou um garoto.
    A Educação em Minas decairá a cada ano, porque este tornou-se um dos meios de controlar a população,
    O voto de cabresto permanecerá intacto e continuaremos a assistir a derrocada de Minas( como estamos presenciando) sem conseguir mitigar a fome e a sede daqueles que lutam e lutarão ainda, mas que esbarrarão
    sempre na máquina poderosa e estúpida do capitalismo vazio que demonstra a cada dia sua ineficácia enquanto regime
    e enquanto modo de vida.

    As lutas se ampliarão, com certeza, pelo mundo ( como já ocorre).
    Mas por lá as lutas são diferentes daqui- por lá, há mais consciência de classe. Por aqui, há muito comodismo, muita anemia.
    Prova disto foi o desfecho final desta greve estúpida- quando tinha tudo para vencer, entregaram os pontos.
    Cenário: Assembléia Legislativa ocupada, greve de fome por dois bravos e um grupo inocente reúne numa sala com meia dúzia de parlamentares, loucos para se livrar daquela balbúrdia e escreve um termo final de greve com um membro do governo.
    E pior, reuni com o Comando Geral de greve que aceita a proposta.
    Agora estão lá a se justificar( os deputados) para a categoria inocente que se rendeu quando tinha nas mãos quase a vitória.
    O Sindicato se rendeu justificando que não tinha mais quadros para a luta. Rogério Correa,
    adorado aí pelos bravos inocentes anunciou previamente que a categoria já havia aceitado o acordo antes mesmo da votação do comando de greve. Eu li no twiteer.

    Fim de papo. Quem sabe o ano que vem o NDG( faz-me rir) abre uma nova temporada de lutas: inócua , inútil e estúpida.um grande abraço Cris , força e luz!
    Marlene LOpes pedagoga BH MINAS

    ResponderExcluir