sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Desabafo da Professora Quezia do Carmo Faria Morais

"Se você é capaz de tremer de indignação a cada vez que se comete uma injustiça no mundo, então somos companheiros."

Ernesto Che Guevara

Recebi por Email e entendo perfeitamente o que esta companheira está sentindo:
Prezados,

Peço, por favor, que vcs me façam a gentileza de pelo menos ler meu
desabafo ou encaminhar para quem interessar para que eu tenha o
direito à resposta diante da imensa tristeza que sinto com a
reportagem veiculada pela TV ALTEROSA.

Atenciosamente,
Quezia do Carmo Faria Morais

Prezados Jornalistas e a quem mais se interessar,

Tenho 31 anos de idade, graduei pelo curso de letras em 2005 e resolvi ingressar na Rede Estadual de Ensino neste mesmo ano através de um concurso público ao qual obtive uma boa pontuação, escolhi esta profissão por vocação e por isso logo fiz uma Pós Graduação pela UFMG e me Especializei em ensino de leitura e produção de texto, pois sei o quanto o hábito de leitura e produção de texto faz falta aos meus alunos.

Então, não quero aqui fazer um discurso de vitimação, mas estive em praticamente todas as manifestações dos professores porque não vejo este ato como problema de trânsito como a imprensa a favor do governo tem noticiado, vejo este ato como um exercício de cidadania assim como muitas aconteceram de maneira honrosa em defesa as ações truculentas das políticas que norteiam a história do nosso país. Mas o que mais me entristece ultimamente é ser desrespeitada como Profissional da Educação pelo Governo de Minas Gerais que não cumpre a lei, pelo Ministério Público Estadual que só tem tomado medidas favoráveis ao governo sendo que temos uma lei Federal nos dando direito a ter um piso salarial, e o pior, vejo a imprensa dizer que é imparcial e simplesmente, como tem feito a TV ALTEROSA em seu jornalismo, deturpar a imagem do professor, como se na passeata tivessem um bando de alcoólatras embriagados fazendo bagunça.

E o lado real da greve????? Até hoje, em mais de 80 dias de greve, as notícias veiculadas por esta emissora é somente sobre o caos no trânsito, aliás, um trânsito que todos os dias está engarrafado por causa de obras políticas inacabadas, eleitoreiras e mal planejadas como vários trechos da Linha Verde.

Mostrem a verdade, parece que nem a equipe de jornalismo leu as leis pelo qual pedimos o cumprimento e que deveriam nos resguardar, não sabem o motivo de nossa Greve, não enxergam as entrelinhas das propostas maldosas do Governo – ou fingem que não entendem para agradá-lo – vocês não imaginam e nem noticiaram que os profissionais não têm mais direito à greve, pois há dois meses o governo cortou o nosso salário, estamos sobrevivendo
acumulando dívidas....mas ele jamais tirará a minha dignidade e honra.

Se vocês acham justo que um professor tenha como salário base R$ 712, 00 reais (pouco mais que o salário mínimo) então as noticias são coerentes, mas eu como Professora jamais acharia justo um Repórter que fez curso superior, como eu, ganhar este valor...assim como não vou aceitar ser maltratada como tenho sido pela imprensa ( graças a Deus que não são todas as emissoras quese vedem para o Governador) , não vou aceitar como remuneração este valor,
não vou aceitar tratar o movimento pela educação como problema de trânsito, não vou vender a minha honra e direito de exercer a cidadania justamente.

Não conseguirei voltar para a escola, sentar na sala dos professores e só falar mal da educação e do governo sem nada fazer para a situação mudar, vou tentar acreditar em um país menos desigual e este é o motivo da minha luta. Não sei se iremos ganhar alguma vantagem financeira, mas lutamos também por dignidade e respeito.

E peço profundamente e de coração a vocês jornalistas, que com certeza já precisaram de um professor para chegar nesta posição que ocupam no mercado de trabalho, que pelo menos nos respeitem, pois apoio sei que é impossível nos dar.

Este é um pequeno desabafo de uma professora que no horário de almoço viu no JA a notícia de uma calorosa manifestação de mais de 7 mil professores em que a equipe de reportagem somente conseguiu filmar, em um dia quente (um inverno de 33,3oC), meia duzia de professores que se refrescavam tomando cerveja.

Diante de uma manifestação cheia de palavras de ordem pedindo respeito, democracia, cumprimento da lei federal, denunciando o descaso com a educação somente isso chamou a atenção da equipe de reportagem que parece achar normal um governador oferecer 712 reais como salário base do Professor.

Aproveito a oportunidade para lembrar a vocês jornalistas o juramento feito para concluir a graduação da profissão que vocês escolheram, reflitam bem e com o coração, e assim perceberão o mal que estão fazendo à profissão de Magistério que apenas luta para ser valorizado como são os demais cursos superiores.

"Juro, no exercício das funções de meu grau, assumir meu compromisso com a verdade e com a informação. Juro empenhar todos os meus atos e palavras, meus esforços e meus conhecimentos para construção de uma nação consciente de sua história e de sua capacidade. Juro, no exercício do meu dever profissional, não omitir, não mentir e não distorcer informações, não manipular dados e, acima de tudo, não subordinar em favor de interesses pessoais o direito do cidadão à informação."

Agradeço pela atenção, pela oportunidade de manifestar com palavras a minha indignação e tentar ter um direito de defesa.

Atenciosamente,

Professora Quezia do Carmo Faria Morais




Comentários:

Adriana Beatriz Cruz disse...

Kézia, assino seu desabafo. Tenho 24 anos de profissão e não aceito ser destratada pela TV Alterosa. Infelizmente, esta emissora, que há anos acompanho, deixando outra de maior audiência, por acreditar mais séria, perdeu meu respeito. ADRIANA BEATRIZ CRUZ

Rafael -GV disse...

Inter TV dos Vales:
Veja a Situação das Escolas de Governador Valadares em 02/09:
http://in360.globo.com/mg/noticias.php?id=14582
Será que é essa a Garantia de Qualidade que o Governo tem garantido após o cometimento de diversas ilegalidades e se negar a cumprir a lei do Piso, e pretender rasgar um plano de Carreira criado pelo atual Governo com tanta pompa e circunstância?

João Paulo Ferreira de Assis disse...

Prezada companheira de luta Professora Quezia

Li seu desabafo. Vejo que a senhora é nova, e eu tenho 52 anos, que deve ser a idade de seus pais. Não tenho mais perspectiva de mudança, apesar do meu diploma de Direito obtido aos 49 anos. Mas a senhora tem ainda toda uma vida pela frente. Tem tempo de fazer outro curso e passar num concurso público para outra atividade. SER PROFESSOR É UMA TREMENDA DE UMA FRIA. ALÉM DE SER UMA MISÉRIA O NOSSO SALÁRIO AINDA SOMOS TRATADOS COMO VAGABUNDOS,BADERNEIROS, E BÊBADOS. A TV Alterosa está querendo colocar em nós a fama de bêbados. Coitada dessa professora que foi perseguida pela reportagem da Alterosa.

Eu estou na expectativa da regulamentação da profissão de pesquisador de História e Genealogia. Já passou na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, e creio que já deve estar na Câmara. Na hora que regulamentarem, eu vou montar uma empresa. Talvez eu me mude para Rio Preto MG, divisa com o Estado de Rio de Janeiro. Lá existe a Praça da Matriz do Senhor dos Passos, e o Rio Preto passa atrás da Matriz. Cruza-se a ponte e já estamos em Parapeúna, distrito do município fluminense de Valença. Aí monto a empresa no Estado do Rio de Janeiro, porque Minas enquanto essa quadrilha tucana estiver no poder, eu não invisto aqui o preço de uma caixa de fósforo.

Saudações.
João Paulo Ferreira de Assis

Anônimo disse...

Cara colega,concordo quando você questiona a postura dos jornalistas em não mostrarem as propostas do Governo à classe. É notorio que a imprensa é tendenciosa,prima pelos enteresses da classe burguesa, do Governo. Por esse motivo, penso que as pessoas que protagonizaram a cena deveriam estar atentas, vigilantes, pois nossos inimigos estavam ali a espreita, ávidos por um único deslize para nos massacrar, para nos denegrir.Infelizmente,alguns professores foram flagarados tomando cerveja, nada de mais se tal fato não tivesse ocorrido em um lugar onde estava sendo decidido algo que mexe com a nossa vida profissional e com a da sociedade.Não concordo com o foco da notícia, mas você há de concordar que deixou-se brechas para o inimigo. Causou-me indigestão assistir àquela reportagem, mas saiba que a nossa luta é contra um sistema corrupto, alienante e endieirado. Abraços.

Míriam disse...

Infelizmente a reunião do dia 05/09/2011 foi desmarcada...
Pelo jeito, não querem negociar mais não.
Míriam

Professor Cláudio disse...

Parabéns colega! Estas suas palavras certamente são as mesmas que estão entaladas nas gargantas dos heróis deste país!

Educadora de Contagem disse...

Prof. Quezia do Carmo,
Acabei de ler a sua bela carta, simples,objetiva e clara. Compartilho com você, apesar de não nos conhecermos desse sentimento de angústia e opressão, vindo por parte do nosso governo e da mídia.
Um grande abraço!!

Marica Cristina disse...

Este governo é indecente e manipulador. A imprensa, o MPE, a ALEMG e o Judicirio funcionam como autarquias. Nem parecem que são poderes independentes. Estamos a Deus dará, infelizmente. Mas a categoria é firme e vai à luta até o fim. Pague o piso e respeite o plano de carreira dos educadores, senhor governador!
Marcia Cristina

norminha2010 disse...

Twitter:Norma_Muniz1 - Fortaleza-Ce.Professora: 27 anos de profissão. Esperando o piso para afastamento. Desde que enntramos no magistério que lutamos com a questão do piso. Aqui no Ceará na década de 80, passamos vários anos questionado com governos o direito do piso. No governo de Totó, fizemos várias greves. Na saída do Governador (professor) Gonzaga Mota, ele deixou então o piso elaborado, assinado para o próximo governo dar aos professores. O próximo foi o sr. Tasso Jereissati.Ele fez a maior maldade conosco, engaveto-o e assim continuamos na mesma luta até hoje. Estamos com 28 dias de greve, depois de 3 meses esperando o governador Cid Gomes, se decidi a nos dar nosso piso. Ele passou exatamente esses 3 meses enrrolando o sindicato dos professores.Depois dessa espera resolvemos começar a greve. Opinião: você deve mudar o quanto antes de profissão.Sai dessa! É lamentável ter que dar esse conselho.Boa sorte! Norma Muniz Cavalcanti

Profº Rogério disse...

Agora eu entendo porque jornalista não precisa de curso superior. É mais brato!

Zonal da 3ª Região disse...

Profª Quezia,

Pode se sentir mais leve de todo esse fardo. Eu e milhares de outros colegas professores compreendemos perfeitamente o seu sentimento. Infelizmente, o embate entre os professores de MG está se repetindo incansavelmente por todo o país. Aqui em Fortaleza/Ceará está tão difícil quanto. Mas é como digo aos colegas em desalento. São batalhas como as de Davi e Golias. E espero que tenham o mesmo final que a de Davi.

Cordialmente,

Prof. Joaquim Veridiano
http://zonal3aregiao.blogspot.com/

Professora Quézia disse...

Oi Colegas de Luta...obrigada por me ajudar a carregar o peso desta injustiça em que varias mídias (tv, rádio e jornais escritos)tem nós submetido, sou a Professora Quezia e escrevi esta carta para tentar amenizar a angustia que tenho sentido pelo tamanho desrespeito que estamos sofrendo, não aguento mais ver nossa categoria ser culpada pelos malefícios da greve sem poder ao menos tentar defender, não insento nossa parcela nos prejuízos, mas não existe outra maneira de reivindicar por nossos direitos, não consigo entender o porquê de termos que aceitar a injusta proposta salarial de pagamento do piso feita pelo governo e essa proposta ser normalmente veiculado pela imprensa como se estivessemos dispensando uma fortuna...então, ja que não temos voz nestes meios de comunicação vamos usar estes espaços virtuais para suprir a veiculação da verdade que as emissoras tem nos negado...vamos manifestar, compartilhar, opinar, debater e discutir em favor a nossa categoria...obrigada mais uma vez por me ajudar a carregar este peso e por não estarem ao lado dos professores que estão em sala de aula servindo de fantoches para a manipulãção do governo contra nós grevistas...um forte abraço a todos.

Cristina Costa disse...

Companheira e colega de profissão,
seu desabafo é o desabafo de milhares de educadores. Estamos lutando com forças poderosas mas com nossa garra e união não vamos permitir que levem nossa dignidade.

Obrigada por nos blindar com belíssima carta!

Nosso blog é de todos que estão na luta e se sentem injustiçados. Pelo menos neste espaço, há sim democracia. Sinta-se a vontade para dividir seus sentimentos com todos.

Se Deus quiser, daqui uns dias poderemos publicar um desabafo diferente: O da vitória contra os poderosos!

Força na luta e até a conquista do PISO e da nossa carreira!

Anônimo disse...

Sobre o jornalismo da TV Alterosa, gostaria de lembrar que o Deputado Estadual João Vítor Xavier, eleito nas últimas eleições, também é jornalista e um dos comentaristas dessa emissora. Ele é um dos deputados que já se posicionou A FAVOR do projeto de lei 2355. Trata-se de um pau-mandado de Anastasia. Só para completar, ele também é repórter e apresentador da Rádio Itatiaia. A partir desses detalhes, é possível entender a parcialidade apresentada por essas duas emissoras.

.

16 comentários:

  1. Kézia, assino seu desabafo. Tenho 24 anos de profissão e não aceito ser destratada pela TV Alterosa. Infelizmente, esta emissora, que há anos acompanho, deixando outra de maior audiência, por acreditar mais séria, perdeu meu respeito. ADRIANA BEATRIZ CRUZ

    ResponderExcluir
  2. Inter TV dos Vales:
    Veja a Situação das Escolas de Governador Valadares em 02/09:
    http://in360.globo.com/mg/noticias.php?id=14582
    Será que é essa a Garantia de Qualidade que o Governo tem garantido após o cometimento de diversas ilegalidades e se negar a cumprir a lei do Piso, e pretender rasgar um plano de Carreira criado pelo atual Governo com tanta pompa e circunstância?

    ResponderExcluir
  3. João Paulo Ferreira de Assis3 de setembro de 2011 01:50

    Prezada amiga e companheira de luta Professora Cristina

    Com sua devida vênia transcrevo num único comentário os dois comentários que acabei de fazer no blog do Euler.

    Prezados companheiros de luta: É UM LONGO COMENTÁRIO PORÉM PEÇO QUE O LEIAM. É UMA ESTRATÉGIA PARA QUANDO ESTIVERMOS EM AULA

    Prezado amigo e companheiro de luta Professor Euler

    Não sei até quando irá nossa greve. Só sei que em lugar de nos deixarmos atemorizar pelo governo, devemos lutar mais e mais. Não tenho medo de me mandarem carta me cobrando a diferença do subsídio. Se eu receber a tal carta, que já deve estar no meu escaninho na EE Deputado Patrus de Sousa, vou responder para eles irem à Polícia ou acionarem o Ministério Público. Não sei quando irá transitar em julgado o acórdão do STF. Espero que não demore muito.
    Penso, amigo Euler que nós temos de ter estratégia também para a sala de aula. Enquanto o governo não nos pagar o Piso salarial NÓS NÃO DEVEMOS CUMPRIR NADA QUE A ESCOLA OU A SRE NOS PEÇA.

    1° - a Escola quer fazer uma festa junina para construir uma quadra ou o que seja. Não devemos colaborar. Não devemos dar um centavo sequer. Ou se darmos material, pegar a nota ou cupom fiscal e guardar.

    2° - A Escola quer folhas, porque está faltando folha no xerox. Não dê. Se der pegue a nota fiscal e exija do Ministério Público que abra uma ação civil pública contra o Governador por não prover a escola de materiais necessários para o seu funcionamento.

    3° - Recusar participar de todos os cursos que a SEE-MG oferecer, pois a gente participa do curso para a Dona Gazola ficar com o peito cheio de medalhas. Dane-se o PEAS, dane-se os cursos de informática, dane-se o Projeto de Educação Inclusiva, dane-se tudo.

    4° - Recusar aplicar o Conteúdo Básico Comum, que é uma piada. O prezado amigo sabe como, pois colocaram descolonização da África e da Ásia antes de Primeira Guerra Mundial. E de Minas nada se fala das origens, do patrimônio cultural e artístico das nossas cidades históricas. Nada. Vamos aplicar o PCN, que é federal. Na hora que diretor, vice, pedagogogas, inspetora, supervisor da SRE vierem deitar falação, os professores todos reunidos têm que mandar essa turma chupar prego para ver se vira parafuso, pois quem muito abaixa o [...] aparece.

    5° - Na Escola onde leciono, a vice-diretora do turno da tarde tem o costume de chegar nas salas, principalmente do 1° ano do Ensino Médio, e fazer prédicas sobre valores éticos, etc, necessidade de deixar a sala limpa para diminuir o serviço das auxiliares de serviços gerais etc. Eu juro, que se ela vier com essa conversa de novo eu vou dizer para ela QUE OS VALORES ÉTICOS ESTÃO FORA DE MODA. E vou citar claramente que o Governador não cumpre a lei federal e nada acontece com ele. Pelo contrário, o MPE que é fiscal da lei toma o partido do governador contra os professores. Os juízes, a pedido do governador decidem CONTRA LEGEM. A Assembleia derruba qualquer pedido de impeachment contra ele. POR QUE ENTÃO VAMOS COBRAR DOS ALUNOS POSTURA ÉTICA E DISCIPLINA? E ainda vou dizer que as auxiliares são regiamente pagas para fazer a limpeza das salas. Não fosse por isso, elas em vez de fazerem número para derrubar nossa greve, somariam conosco.

    6° - Se tiver escola que gosta de promover desfiles de 07 de setembro ou de aniversário de cidade SIMPLESMENTE SE RECUSEM A PARTICIPAR.

    7° - Entreguem as notas com atraso. Se o pessoal da Secretaria da Escola não é solidário com a luta dos professores, nós não precisamos ser necessariamente aliados dele. A única exceção aí no caso é com a funcionária encarregada da sua vida funcional. Com esta não convém brigar.

    8° - Logicamente que temos que procurar dar as melhores aulas, até mesmo para contrariarmos os desígnios infames do desgovernador.

    Desculpe-me pelo tamanho do comentário.

    João Paulo Ferreira de Assis

    Post Scriptum:

    Se voltarmos às aulas com a conquista do Piso salarial, é lógico que não será preciso colocarmos em ação a estratégia que eu sugeri.

    Saudações e ATÉ A VITÓRIA!!!!

    João Paulo Ferreira de Assis.

    ResponderExcluir
  4. João Paulo Ferreira de Assis3 de setembro de 2011 02:10

    Prezada companheira de luta Professora Quezia

    Li seu desabafo. Vejo que a senhora é nova, e eu tenho 52 anos, que deve ser a idade de seus pais. Não tenho mais perspectiva de mudança, apesar do meu diploma de Direito obtido aos 49 anos. Mas a senhora tem ainda toda uma vida pela frente. Tem tempo de fazer outro curso e passar num concurso público para outra atividade. SER PROFESSOR É UMA TREMENDA DE UMA FRIA. ALÉM DE SER UMA MISÉRIA O NOSSO SALÁRIO AINDA SOMOS TRATADOS COMO VAGABUNDOS,BADERNEIROS, E BÊBADOS. A TV Alterosa está querendo colocar em nós a fama de bêbados. Coitada dessa professora que foi perseguida pela reportagem da Alterosa.

    Eu estou na expectativa da regulamentação da profissão de pesquisador de História e Genealogia. Já passou na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, e creio que já deve estar na Câmara. Na hora que regulamentarem, eu vou montar uma empresa. Talvez eu me mude para Rio Preto MG, divisa com o Estado de Rio de Janeiro. Lá existe a Praça da Matriz do Senhor dos Passos, e o Rio Preto passa atrás da Matriz. Cruza-se a ponte e já estamos em Parapeúna, distrito do município fluminense de Valença. Aí monto a empresa no Estado do Rio de Janeiro, porque Minas enquanto essa quadrilha tucana estiver no poder, eu não invisto aqui o preço de uma caixa de fósforo.

    Saudações.
    João Paulo Ferreira de Assis

    ResponderExcluir
  5. Cara colega,concordo quando você questiona a postura dos jornalistas em não mostrarem as propostas do Governo à classe. É notorio que a imprensa é tendenciosa,prima pelos enteresses da classe burguesa, do Governo. Por esse motivo, penso que as pessoas que protagonizaram a cena deveriam estar atentas, vigilantes, pois nossos inimigos estavam ali a espreita, ávidos por um único deslize para nos massacrar, para nos denegrir.Infelizmente,alguns professores foram flagarados tomando cerveja, nada de mais se tal fato não tivesse ocorrido em um lugar onde estava sendo decidido algo que mexe com a nossa vida profissional e com a da sociedade.Não concordo com o foco da notícia, mas você há de concordar que deixou-se brechas para o inimigo. Causou-me indigestão assistir àquela reportagem, mas saiba que a nossa luta é contra um sistema corrupto, alienante e endieirado. Abraços.

    ResponderExcluir
  6. Infelizmente a reunião do dia 05/09/2011 foi desmarcada...
    Pelo jeito, não querem negociar mais não.
    Míriam

    ResponderExcluir
  7. Parabéns colega! Estas suas palavras certamente são as mesmas que estão entaladas nas gargantas dos heróis deste país!

    ResponderExcluir
  8. Educadora de Contagem3 de setembro de 2011 08:45

    Prof. Quezia do Carmo,
    Acabei de ler a sua bela carta, simples,objetiva e clara. Compartilho com você, apesar de não nos conhecermos desse sentimento de angústia e opressão, vindo por parte do nosso governo e da mídia.
    Um grande abraço!!

    ResponderExcluir
  9. Este governo é indecente e manipulador. A imprensa, o MPE, a ALEMG e o Judicirio funcionam como autarquias. Nem parecem que são poderes independentes. Estamos a Deus dará, infelizmente. Mas a categoria é firme e vai à luta até o fim. Pague o piso e respeite o plano de carreira dos educadores, senhor governador!
    Marcia Cristina

    ResponderExcluir
  10. Twitter:Norma_Muniz1 - Fortaleza-Ce.Professora: 27 anos de profissão. Esperando o piso para afastamento. Desde que enntramos no magistério que lutamos com a questão do piso. Aqui no Ceará na década de 80, passamos vários anos questionado com governos o direito do piso. No governo de Totó, fizemos várias greves. Na saída do Governador (professor) Gonzaga Mota, ele deixou então o piso elaborado, assinado para o próximo governo dar aos professores. O próximo foi o sr. Tasso Jereissati.Ele fez a maior maldade conosco, engaveto-o e assim continuamos na mesma luta até hoje. Estamos com 28 dias de greve, depois de 3 meses esperando o governador Cid Gomes, se decidi a nos dar nosso piso. Ele passou exatamente esses 3 meses enrrolando o sindicato dos professores.Depois dessa espera resolvemos começar a greve. Opinião: você deve mudar o quanto antes de profissão.Sai dessa! É lamentável ter que dar esse conselho.Boa sorte! Norma Muniz Cavalcanti

    ResponderExcluir
  11. Agora eu entendo porque jornalista não precisa de curso superior. É mais brato!

    ResponderExcluir
  12. Profª Quezia,

    Pode se sentir mais leve de todo esse fardo. Eu e milhares de outros colegas professores compreendemos perfeitamente o seu sentimento. Infelizmente, o embate entre os professores de MG está se repetindo incansavelmente por todo o país. Aqui em Fortaleza/Ceará está tão difícil quanto. Mas é como digo aos colegas em desalento. São batalhas como as de Davi e Golias. E espero que tenham o mesmo final que a de Davi.

    Cordialmente,

    Prof. Joaquim Veridiano
    http://zonal3aregiao.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  13. Oi Colegas de Luta...obrigada por me ajudar a carregar o peso desta injustiça em que varias mídias (tv, rádio e jornais escritos)tem nós submetido, sou a Professora Quezia e escrevi esta carta para tentar amenizar a angustia que tenho sentido pelo tamanho desrespeito que estamos sofrendo, não aguento mais ver nossa categoria ser culpada pelos malefícios da greve sem poder ao menos tentar defender, não insento nossa parcela nos prejuízos, mas não existe outra maneira de reivindicar por nossos direitos, não consigo entender o porquê de termos que aceitar a injusta proposta salarial de pagamento do piso feita pelo governo e essa proposta ser normalmente veiculado pela imprensa como se estivessemos dispensando uma fortuna...então, ja que não temos voz nestes meios de comunicação vamos usar estes espaços virtuais para suprir a veiculação da verdade que as emissoras tem nos negado...vamos manifestar, compartilhar, opinar, debater e discutir em favor a nossa categoria...obrigada mais uma vez por me ajudar a carregar este peso e por não estarem ao lado dos professores que estão em sala de aula servindo de fantoches para a manipulãção do governo contra nós grevistas...um forte abraço a todos.

    ResponderExcluir
  14. Companheira e colega de profissão,
    seu desabafo é o desabafo de milhares de educadores. Estamos lutando com forças poderosas mas com nossa garra e união não vamos permitir que levem nossa dignidade.

    Obrigada por nos blindar com belíssima carta!

    Nosso blog é de todos que estão na luta e se sentem injustiçados. Pelo menos neste espaço, há sim democracia. Sinta-se a vontade para dividir seus sentimentos com todos.

    Se Deus quiser, daqui uns dias poderemos publicar um desabafo diferente: O da vitória contra os poderosos!

    Força na luta e até a conquista do PISO e da nossa carreira!

    ResponderExcluir
  15. Sobre o jornalismo da TV Alterosa, gostaria de lembrar que o Deputado Estadual João Vítor Xavier, eleito nas últimas eleições, também é jornalista e um dos comentaristas dessa emissora. Ele é um dos deputados que já se posicionou A FAVOR do projeto de lei 2355. Trata-se de um pau-mandado de Anastasia. Só para completar, ele também é repórter e apresentador da Rádio Itatiaia. A partir desses detalhes, é possível entender a parcialidade apresentada por essas duas emissoras.

    ResponderExcluir
  16. Só Deus pode dar luz este homem e entendimento para nos pagar o piso Real,colegas.Mas...o poder de Deus é maior.Venceremos.Não entendi o pagamento dos meus cargos até hoje.Maldito subsidio.

    ResponderExcluir