sexta-feira, 14 de maio de 2010

BLOG DO BENNY DA ALTEROSA..



ESTA POSTAGEM FOI UMA SUGESTÃO DE NOSSA COLEGA DE LUTA E MINHA AMIGA FERNANDA!!!
OLHA SÓ O QUE ESTÁ ESCRITO NO BLOG DO BENNY DA ALTEROSA.:

Sexta-feira, 14 de maio de 2010 12:32 pm

CORTE DO PONTO DOS PROFESSORES: UMA DÚVIDA QUE PODE COMPLICAR O FIM DA GREVE

Uma análise cuidadosa dos releases divulgados pela ALMG e pelo Governo do Estado revela que ainda pode haver problemas sérios para se chegar ao fim da greve dos professores estaduais, na assembleia da categoria marcada para a próxima terça-feira, dia 18.

Anteontem, quando houve reunião mediada pelos deputados estaduais com a secretária de Planejamento, Renata Vilhena, e com a presidente do Sind-UTE, Beatriz Cerqueira, um dos principais temas foi o corte do ponto dos grevistas.

O release enviado pela ALMG, disponível no site do Poder Legislativo, relata: “será emitida folha extra de pagamento, caso não seja possível cancelar o corte nos salários dos profissionais devido à greve. Ela (Renata Vilhena) espera a contrapartida de que os professores apresentem um calendário de reposição das aulas e que vão encerrar o movimento”.

Já o release da Superintendência de Imprensa do Governo de Minas informa: “Em relação ao corte do ponto, a secretária explicou que o corte já foi efetuado e “na medida em que houver a reposição dos dias de aula paralisados”, o Governo de Minas poderá repor financeiramente os dias cortados.”

Um outro release do Governo, que transcreve a entrevista da secretária Vilhena, diz: “Em relação ao corte do ponto, esse corte já está efetuado e na medida em que o sindicato apresente uma reposição dos dias de aula paralisados, nós então vamos repor esses dias que foram cortados e paralisados. E se for possível, até em uma folha extra para que não haja muito prejuízo aí por parte dos professores que aderiram à greve em relação à sua remuneração. Mas é o que o governo pode fazer nesse momento."

Mas a transcrição literal da entrevista tem uma pequena diferença: “em relação ao corte do ponto, esse corte já está efetuado, e a partir do momento em que o sindicato apresente uma reposição dos dias de aula paralisados nós então vamos repor esses dias que foram cortados, e paralisados, e se for possível, até numa folha extra para que não haja muito prejuízo aí por parte dos professores que aderiram à greve em relação à sua remuneração. Mas é o que o governo pode fazer nesse momento.

Ouça aqui o áudio da entrevista e confirme a transcrição exata, feita por este blogueiro.

Hoje, o site da secretaria de Estado da Educação traz informe na capa, com data de ontem:

“Considerando a decisão proferida pelo Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais em 11/05/2010, que, nos autos da Ação Civil Pública no. 1.0000.10.021538-3/000, negou provimento ao recurso do SINDUTE, ratificando liminar que julgou ilegal a greve dos servidores da rede estadual de educação e determinando o retorno imediato ao trabalho, as ausências ocorridas até o dia 11 de maio deverão ser mantidas como FALTA/GREVE e, a partir do dia 12 de maio, serão registradas como FALTA. À medida em que os dias de paralisação forem sendo compensados, pelo cumprimento do novo calendário escolar, deverá ser informada a supressão das faltas correspondentes, em cada mês, para o devido pagamento. Belo Horizonte, 13 de maio de 2010”

Afinal, o Governo vai repor o corte do ponto “à medida em que” ou “a partir do momento” em que o calendário de reposição for informado pelos professores? Vai ser numa folha extra ”pra que não haja muito prejuízo por parte dos professores que aderiram à greve”, como disse Renata Vilhena, ou mês a mês, conforme a reposição for acontecendo, como diz a nota publicada no site da Secretaria?

Parece claro que o cancelamento do corte de ponto não há mais como ocorrer, embora o release da ALMG levantasse essa possibilidade. Se Vilhena disse isso durante a reunião, coberta exclusivamente por jornalistas da assessoria da ALMG, não confirmou depois, na própria declaração dela à imprensa: “esse corte já está efetuado”, disse a secretária.

Mas o prazo da reposição dos cortes ainda é dúvida. E pode ser fundamental pra definir o fim ou a continuidade da greve.

Com a palavra, a secretaria de Educação e o Sind-UTE.


GOSTARIA DE COMENTAR ESTE TEXTO:


"Não acredito em NADA que venha deste governo,ele SÓ promete. Cumprir que é bom NADA, fica pra DEPOIS, MOSTRANDO COM ISTO QUE a EDUCAÇÃO NÃO É ESSENCIAL COMO O DESEMBARGADOR AFIRMOU ao julgar a greve ilegal! Só tem contradição NESTE GOVERNO AÉCIO/ANASTASIA.


Sou professora por vocação, escolhi ser Educadora,ESTUDEI MUITO E para promover uma educação de qualidade tenho que continuar estudando, lendo, pesquisando...


Imaginem só o sacrifício que é tendo que trabalhar dois horários, sendo dona de casa, mãe e esposa.


SOU UMA PROFISSIONAL ,mas faço na realidade um TRABALHO VOLUNTÁRIO PRO GOVERNO como diz meu marido, pois o que recebo nada mais é do que uma mísera ajuda de custo!!NÃO IGUAL aos Deputados É CLARO!!!!


Isto enquanto o governo ESBANJA em propagandas enganosas e obras faraônicas.


Precisamos ser remunerado dignamente PELO nosso TRABALHO,no mínimo dentro da LEI. Mas para o Governo de Minas ele demonstra mais uma vez que LEI só existe para o povo cumprir, eles não! SE JULGAM ACIMA DA LEI!!


NÓS NÃO PODEMOS RECUAR AGORA,TEMOS QUE LUTAR ATÉ A VITÓRIA!


A Educação em MINAS GERAIS não está pior porque tem um time de primeira linha: educadores/professores,dedicados, compromissados e não deixamos a educação afundar mais...


Sabem por quê????


VOU FALAR POR MIM, MAS SEI QUE É O SENTIMENTO DA MAIORIA:

"AMO O QUE FAÇO E ME ESFORÇO PARA FAZER O MELHOR E COM MUITO GOSTO!!!"


FALO PARA MEUS ALUNOS:

"SOU PARA VOCÊS A PROFESSORA QUE GOSTARIA QUE O MEU FILHO TIVESSE!!!"


Cristina


.

3 comentários:

  1. Fato: o governo não tem nada a perder em fazer jogo duro com os grevistas. No geral, quem não tem filho na escola pública, em parte de quem tem, quase todos os meios de comunicação e o poder judiciário mineiro estão mantendo a posição de aécio-anastasia. Se a greve se prolongar mais, ocorrerá, de verdade, uma iniciativa para a demissão sumária não só dos professores designados como dos efetivos. Haverá uma debandada para as escolas. Sou favorável a irmos até o fim. Mas isto só terá sucesso se mantermos, no mínimo, o atual grosso dos professores em greve. Esta coragem deve ser incitada na próxima assembléia com extrema força. Se ocorrer de voltarmos às aulas, daremos continuidade à greve estabelecendo um compromisso de total desobediência a SEE, visando à autonomia das Escolas. As aulas têm 50 ou 40 minutos? Daremos no máximo 30! O estado manda aplicar recuperações a rodo para que possa se gabar dos números positivos de aprovados? Seremos extremamente rígidos: 59 não é 60! Recuperação só no final do ano! Vamos acabar com a dependência! Uma disciplina dará, SIM, bomba! Vamos limitar o número de alunos nas salas de aula para 30 (tenho turmas com 50, 54...)! Com isso iremos força o governo a construir mais escolas, melhor aparelhadas. Muitos podem pensar que prejudicaremos os alunos. Ora, no mínimo, aluno esforçado e respeitador passa de ano. Os outros, que são muitos, que costumam ter a benevolência de certos professores (para não terem trabalho durante as férias) devem ser barrados para não engrossar a lista “positiva” anual do governo. Chega de professor “bonzinho”! Chega de professor pau-mandado de direção! Coragem ao professores que aprovam mesmo a contragosto, imposto pelo Conselho de Classe. Não podemos dar qualquer motivo para o governo se gabar nacionalmente de que a educação pública em Minas vai bem, pois, na realidade, NÃO VAI! Devemos propagandear o abismo que separa muitas escolas estaduais em Minas; as péssimas condições estruturais e a falta de segurança, além, claro, o salário miserável. Por fim, ainda pensando no pior, sugiro uma manifestação semanal gigantesca em BH, como já vem ocorrendo, para força o aumento salarial e mostrar que NÃO ESTAMOS VENCIDOS! O SISTEMA É MAL, MAS MINHA TURMA É LEGAL! FORÇA SEMPRE!

    ResponderExcluir
  2. Fernanda e Meu Marido Geraldo!!15 de maio de 2010 17:48

    É isso mesmo Cris! Somos professores por amor, fazemos sempre o melhor pelos nossos alunos! Mas infelizmente, não somos vistos dessa maneira.
    Olha só o que o leior João Roberto Spini Machado de Contagem (deve ser algum pai que nos vê como BABÁS) escreveu no jornal Hoje em dia (15/05/2010), no caderno do leitor (pag 5):
    "Esta seção tornou-se, ultimamente, uma fonte de reclamações chorosas e doídas de professores da rede estadual de ensino. Faço uma sugestão, nesse jornal tão lido pela classe. Largam o que estão fazendo! O governo nunca irá pagar um salário decente aos professores. como me disse uma conhecida figura pública, 'educação é fonte de despesas, não dá um lucro aceitável, é só gastos e reclamações'."
    Quer dizer que investir nas profissõe futuras não é um lucro intelectual aceitável?
    Realmente para os governantes não é lucro a formação de cidadãos pensante e com senso crítico! Principalmente com relação às várias facetas da política.
    Faça-me o favor! Parece que esse cidadão nunca teve um professor e nunca frequentou uma escola na vida!

    ResponderExcluir
  3. Meus caros colegas, vou confessar para todos vocês, estou tão decepcionada em ter que concordar com a veracidade dos fatos que nosso Cristiano falou:

    " Fato: o governo não tem nada a perder em fazer jogo duro com os grevistas. No geral, quem não tem filho na escola pública, em parte de quem tem, quase todos os meios de comunicação e o poder judiciário mineiro estão mantendo a posição de aécio-anastasia."

    Que só estou agora, pedindo a Deus que me dê a mesma força, entusiasmo,dedicação de sempre!!!!!

    Cristiano, não sei o que acontecerá na Assembleia de terça, mas já estou presumindo.... Mas não é o meu perfil, fingir de dar aula, fazer tipo greve "branca". Faz ou não se faz uma coisa bem feita!!! Esta é minha opinião. Colega, não estou te criticando, viu? Sei que está apenas achando novas alternativas para demonstrar a nossa grande insatisfação!!!!


    Na verdade, não estou conseguindo articular meus raciocínios e chegar a uma ideia viável para a nossa classe. Parece que eu já fui nocaltiada!!!! E não me dei conta disto...

    Entrei de cabeça, pescoço,tronco, membros, coração, nesta GREVE porque percebi que a classe estava mais forte e sem medo. O Sindicato passando mais segurança, sei lá...

    E agora, estou vendo tudo desmoronar como um castelinho de areia feito bem nas margens de uma praia....

    O Governo com a mÁquina administrativa nas mão, ESBAJANDO dinheiro públicO tem como manipular e até mesmo comprar ideias de Pais.

    Aqueles pais conscientes, infelizmente, são poucos, estão a nosso favor, mas a mídia não divulga seu depoimentos.Só se coloca no ar o que melhor convém ao Governo ( esta corja de incapacitados, que muitas vezes nem estudo suficiente tem para ler, interpretar, compreender um projeto de lei e mesmo assim votam,fazem discursos sem saber o que estão falando...)

    Para nós infelizmente, não é novidade que a Educação nunca foi prioridade e pelo jeito vai continuar assim. A maioria dos pais se contentam simplesmente em ter seus filhos na escola e não na rua.Não se preocupam com a aprendizagem, a qualidade da educação prestada pela escola, nem querem saber se estão aprendendo alguma coisa,o que está acontecendo,...Não, se o filho está lá tá bom(Somos BABÁS de luxo) tomamos conta dos seus filhos e se der, "ensinamos " alguma coisa.

    Mas não é este o papel que nós educadores queremos, nem vamos assumir!!!!

    Não somos "Tias" somos "PROFESSORES"

    PROFISSIONAIS.

    ESTOU ACABANDO DE TER UMA SUGESTÃO, VOU RACIOCINAR MELHOR E ASSIM QUE TERMINAR CONTAREI A TODOS E VEREMOS SE É VIÁVEL.

    ESTOU AQUI ESCREVENDO E REACENDENDO MINHA ESPERANÇA ( ESTA É REALMENTE A ÚLTIMA QUE MORRE!)ENQUANTO MEU FILHO ME CHAMA E EU O MANDO DORMIR PORQUE ESTOU TRABALHANDO...

    E TEM GENTE QUE ACHA QUE ESTAMOS DE FÉRIAS...

    É BRINCADEIRA.

    VOU COLOCAR MINHA IDEIA NO PAPEL E RACIOCINAR MAIS UM POUCO.

    OBBRIGADA PELAS PARTICIPAÇÕES

    ResponderExcluir